Editorial

FITMETAL debate pré-candidatura de Manuela e resistência às reformas

Para a Federação, é necessário que o sindicalismo se mantenha “em permanente estado de resistência contra a aplicação da nova legislação" trabalhista.


POR André Cintra

Publicado em 21 de novembro de 2017

Direção executiva fez sua primeira reunião desde a efetivação da reforma trabalhista o anúncio formal da pré-candidatura de Manuela D’Ávila à Presidência

Foto de André Cintra
Manuela pode “trazer para o debate novos elementos para o restabelecimento da democracia e da soberania nacional, bem como sobre o papel da indústria para o desenvolvimento”

A direção executiva da FITMETAL (Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil) se reuniu nesta segunda-feira (20/11), no Hotel Braston, em São Paulo (SP). Foi a primeira reunião dessa instância da entidade desde que a reforma trabalhista foi efetivada, em 11 de novembro, e desde o anúncio formal da pré-candidatura da deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) à Presidência da República, na última sexta-feira (17).

De acordo com a resolução aprovada, é necessário que o sindicalismo se mantenha “em permanente estado de resistência contra a aplicação da nova legislação, em conjunto com a Justiça do Trabalho e outros setores da sociedade”. Além de resistir à reforma trabalhista, a FITMETAL alerta para a reforma da Previdência, que voltou à pauta do governo Temer e do Congresso Nacional.

Em meio à “continuidade da crise econômica” e ao “aprofundamento das mazelas sociais”, a direção executiva saudou a pauta da pré-candidatura presidencial de Manuela D’Ávila e reiterou a defesa da “construção de uma frente ampla, capaz de enfrentar a disputa política em curso”. Segundo a resolução, Manuela pode “trazer para o debate novos elementos para o restabelecimento da democracia e da soberania nacional, bem como sobre o papel da indústria para o desenvolvimento”.

A reunião também fez um balanço do Ciclo de Debates “Indústria e Desenvolvimento” e do movimento Brasil Metalúrgico, além de iniciar o planejamento da FITMETAL para 2018.

Confira abaixo a íntegra da nota:

Resolução da 6ª Reunião de Direção Executiva da Fitmetal

A Direção Executiva da Fitmetal, reunida no dia 20 de novembro de 2017, na cidade de São Paulo, divulga a seguinte resolução:

1. O Ciclo de Debates “Indústria e Desenvolvimento”, que vem sendo organizado pela Fitmetal e pela CTB, em conjunto com suas entidades de base, com o Dieese e importantes representantes da Academia, tem permitido discutir de maneira ampla o cenário de desindustrialização no Brasil, bem como os caminhos necessários para superar esse fenômeno. Até o momento, foram realizados eventos em oito estados (São Paulo, Sergipe, Rio de Janeiro, Bahia, Amazonas, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), com a presença de outras federações e centrais sindicais e uma repercussão positiva tanto em nível local quanto nacional. Até o final do ano, ainda serão realizados debates no Recife (PE) e em São Luís (MA).

2. A Fitmetal tem participado como uma das protagonistas do movimento “Brasil Metalúrgico”, iniciativa surgida no 2º semestre de 2017 diante do atual cenário de crise política, econômica e de desemprego no setor industrial pelo País afora. Como consequência, as centrais sindicais assumiram a pauta da categoria metalúrgica e organizaram atos e paralisações por todo o Brasil no dia 10 de novembro, com a perspectiva de realização de uma greve geral ainda neste ano, para impedir que a reforma da Previdência venha a ser aprovada pelo Congresso Nacional.

3. Apesar desses esforços de mobilização e debates, a reforma trabalhista tornou-se lei, na prática, no último dia 11 de novembro, dando início a um período de incertezas para o movimento sindical. Três dias depois, o presidente ilegítimo Michel Temer enviou para a Câmara Federal uma Medida Provisória que altera alguns pontos da reforma, sem retirar do texto original seu caráter perverso e de precarização das relações trabalhistas. Nesse cenário, cabe ao movimento sindical se manter em permanente estado de resistência contra a aplicação da nova legislação, em conjunto com a Justiça do Trabalho e outros setores da sociedade.

4. Diante da continuidade da crise econômica e do aprofundamento das mazelas sociais, a Fitmetal entende que o ano de 2018 deve ser marcado pela intensificação das lutas do movimento sindical e dos movimentos sociais. Nessa conjuntura, a pré-candidatura de Manuela D’Ávila (PCdoB) à Presidência da República é um gesto da mais alta relevância, capaz de trazer para o debate novos elementos para o restabelecimento da democracia e da soberania nacional, bem como sobre o papel da indústria para o desenvolvimento, para o resgate dos direitos sociais e para a construção de uma frente ampla, capaz de enfrentar a disputa política em curso.

5. Por fim, a Fitmetal destaca na data de hoje a celebração do Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra. A classe trabalhadora carrega em seu DNA mais de três séculos de um regime escravocrata perverso, cujas consequências até hoje se refletem na forma como nossa sociedade se constrói.

Viva Zumbi dos Palmares e a luta de toda a população negra do Brasil!

São Paulo, 20 de novembro de 2017

A Direção Executiva da Fitmetal