Editorial

Pesquisa do IBGE escancara falácia da reforma trabalhista no Brasil


POR Redação FITMETAL

Publicado em 01 de agosto de 2018


A pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (31/07) escancara uma das falácias que se discutia durante o debate da implantação da reforma trabalhista no Brasil: a da geração de milhões de empregos a partir do momento em que a nove lei passasse a vigorar.

Os dados mostram que o cenário brasileiro não é diferente daquele já visto em outras nações que também sofreram reformas trabalhistas retrógradas, de caráter neoliberal e antipopular. México, Peru, Portugal, Itália e Espanha já viram esse filme e agora lutam para impedir perdas sociais ainda maiores.

Em resumo, a pesquisa mostra uma suposta estagnação do número de desempregados no país, levando em conta o aumento de trabalhadores informais e por conta própria. A realidade, no entanto, é assustadora: entre desempregados, trabalhadores informais e aqueles que desistiram de procuram emprego, o número já chega a 65 milhões de pessoas!

Assim como nos países acima citados, a reforma trabalhista acelerou o processo de “uberização” entre milhões de trabalhadores, em especial naqueles das grandes cidades e sem perspectivas de recontratação por vias formais.

Os números do Brasil precisam ser analisados com a devida calma e o mínimo de honestidade intelectual. No segundo trimestre de 2018, foram fechadas 79 mil vagas de emprego com carteira assinada no setor privado. Contudo, no cálculo propagandeado pelo governo Temer e por parte da mídia hegemônica, foram incluídas 276 mil vagas informais e 42 mil pessoas que passaram a trabalhar por conta própria.

A partir de fórmulas inadequadas, é possível fazer qualquer tipo de análise sobre uma pesquisa. Com discrição, o coordenador de Trabalho e Pesquisa do IBGE, Cimar Azeredo, descreveu com perfeição aquilo que as manchetes de jornal e da internet preferiram esconder: “Esse cenário é prejudicial porque parte dessa população não está contribuindo para a Previdência. Não é bom para essas pessoas e nem para a população em geral”.

Palmas para o IBGE, que mesmo num governo golpista segue fazendo um belo trabalho de pesquisa, que nos aponta as reais mazelas do Brasil. Nossa luta deve ser contra os malabaristas da opinião pública e contra o governo golpista instalado no Palácio do Planalto.

Estamos atentos e firmes na luta!

Direção Executiva da Fitmetal
São Paulo, 1º de agosto de 2018


Últimas Inclusões