Notícias

Campanha Salarial Unificada: Fitmetal participa da entrega da pauta em Minas Gerais

Marcelino da Rocha, presidente da Fitmetal, esteve na entrega da pauta à Fiemg.


POR Redação

Publicado em 01 de agosto de 2017

Marcelino da Rocha, de blusa branca, durante entrega da pauta de reivindicações.

Foto de Divulgação

A entrega, na tarde da última segunda-feira (31), da pauta de reivindicações dos metalúrgicos de Minas Gerais à Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), marcou o início oficial da Campanha Salarial Unificada da categoria, em todo o estado. Participaram do ato simbólico de entrega da pauta (veja na foto) dirigentes da Fitmetal, filiada à CTB, FEM/CUT e FEMETAL (Força Sindical).

O slogan da campanha deste ano, “Em defesa da democracia, nenhum direito a menos”, faz referência à luta dos metalúrgicos e metalúrgicas para garantir a democracia, fortemente abalada após o governo Temer assumir a presidência do país e, com apoio de grande parte do empresariado nacional, implantar uma agenda de ataques a direitos históricos dos trabalhadores, via reforma trabalhista, principalmente.

De acordo com Marcelino da Rocha, presidente da Fitmetal, nesse momento de retirada de direitos os trabalhadores devem estar ainda mais unidos contra os avanços dos patrões. “Hoje, os ataques contra o povo brasileiro e, em particular, contra os trabalhadores e trabalhadoras são ainda mais ferozes, vide a aprovação da reforma trabalhista; o aumento nos preços dos combustíveis, que vai impactar na vida do povo; e o derrame de dinheiro público utilizado por Temer para continuar como mandatário do país. Isso demonstra que o que nos resta é manter a unidade e lutar, a começar pela defesa de nossas reivindicações, do emprego e da retomada da industrialização”, afirma.

Para João Alves de Almeida, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região, a campanha salarial é sempre um momento para reunificar forças e lutar por melhorias do ponto de vista da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). “Este ano, sabemos que, em função das mudanças trazidas com a reforma trabalhista, teremos que nos esforçar ainda mais para garantir nossas conquistas. O momento é de resistência, mas, também, de luta firme”, disse.

Principais Reivindicações

O maior desafio da Campanha Salarial deste ano é garantir a renovação de todas as cláusulas da atual Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

Os metalúrgicos e metalúrgicas também devem lutar pelo:

Reajuste salarial baseado no índice do INPC acumulado de outubro de 2016 à 30 de setembro de 2017, mais 3% de aumento real;

Piso salarial com valor atualizado:
R$ 1.177,66 para trabalhadores de empresas com até 400 empregados;
R$ 1.259,28 para trabalhadores de empresas com 401 até 1.000 empregados;
R$ 1.557,78 para trabalhadores de empresas com mais de 1.000 empregados.

Abono de um salário nominal a ser pago juntamente com os salários de fevereiro de 2018;

Redução da jornada para 40 horas semanais; Pagamento de horas extras, sendo:

Acréscimo de 65% com relação à hora normal;

Acréscimo de 75% com relação à hora trabalhada aos sábados;

Acréscimo de 85% acima do limite de 40hrs mensais.

Realização de homologação nos sindicatos.

Exigência de autorização prévia do médico responsável pelo pré-natal para o trabalho de gestante em condições insalubres ou perigosas.

Fonte: Jornal 23 de Outubro