Notícias

"Nossa resistência deve ser maior e constante a cada dia", afirma secretário da FITMETAL

A opinião é de Marcelo Toledo, secretário de Formação da Fitmetal, que participou da reunião mensal da diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim


POR Sindicato dos Metalúrgicos de Betim

Publicado em 31 de outubro de 2017

Foto de Reprodução

A luta de classes é real, é doída, não é fantasia. Por isso, é importante que os dirigentes sindicais estejam unidos, com todos os seus problemas, porque teremos uma grande batalha, que é enfrentar esse ataque ferrenho aos nossos direitos, o que se efetivará com a reforma trabalhista que entra em vigor no próximo dia 11 de novembro.

Nos marcos deste governo golpista, temos um cenário que não nos aponta uma solução para os grandes problemas da classe trabalhadora neste momento.

A opinião é de Marcelo Toledo, secretário de Formação da Fitmetal, que participou da reunião mensal da diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, nesta segunda-feira (30), no Clube dos Metalúrgicos.

Segundo Toledo, o ataque aos direitos elementares conquistados com anos e anos de luta pela classe trabalhadora é combinado com o desmonte da estrutura sindical, de modo a abalar e destruir as organizações de representação dos trabalhadores, os sindicatos.

"Por isso, nossa resistência deve se fazer mais forte e permanente a cada dia", acentua Toledo.

A análise de conjuntura à diretoria do Sindicato contou também com a contribuição de José Antônio Lacerda (Jota), secretário de Formação da CTB Minas, e de Adelmo Rodrigues, diretor do Sinpro-MG e membro da Executiva Estadual da CTB