Notícias

Carlos Barbosa: Sindicato retoma atividades comprometido com as lutas dos trabalhadores

O ano de 2017 se encerrou com o término de um longo processo de negociação da campanha salarial, iniciada em agosto no dissídio da categoria.


POR Sindicato dos Metalúrgicos de Carlos Barbosa

Publicado em 18 de janeiro de 2018

Foto de Reprodução

Nesta semana, o Sindicato dos Metalúrgicos de Carlos Barbosa, filiado à FITMETAL, recomeça suas atividades após o recesso de fim de ano, retomando as lutas em favor da categoria e da classe trabalhadora. O ano de 2017 se encerrou com o término de um longo processo de negociação da campanha salarial, iniciada em agosto no dissídio da categoria. Embora o reajuste conquistado tenha ficado abaixo do reivindicado, foi possível obter 2,55% retroativo a agosto de 2017 — um aumento real de 0,46%. Além disso, o piso da categoria teve reajuste de 8%, um aumento real de quase 6%.

“Considerando o cenário de recessão enfrentado pelo país, o reajuste foi satisfatório e um dos maiores do estado. O mais importante, no entanto, foi garantir cláusulas sociais que têm como objetivo proteger os metalúrgicos frente às mudanças trazidas pela nova lei trabalhista, que acabou com uma série de direitos”, explica Todson Andrade, presidente do Sindicato.

Dentre as conquistas obtidas nas cláusulas sociais estão o adicional de horas-extras, quinquênio, auxílio-creche e a jornada de trabalho, entre outras, que não serão mexidos até a próxima negociação, em 2018. Também foi assegurada na negociação a cláusula que estabelece validade do acordo coletivo por até três meses após a data-base deste, ou seja, até 11 de novembro de 2018. O objetivo é que, caso a negociação perdure por mais tempo, a categoria mantenha suas conquistas sociais resguardadas até a assinatura da próxima convenção coletiva. Além disso, as rescisões continuam sendo realizadas no sindicato, direito garantido na convenção coletiva que assegura maior proteção às garantias dos trabalhadores na hora da sua demissão das empresas.

“As negociações de 2017 mostraram o quanto a união da categoria e dos trabalhadores em geral, juntamente com o Sindicato, é importante para manter direitos, especialmente num momento de tantas perdas e retrocessos como o atual”, diz o presidente. Para ele, é essencial que os metalúrgicos se associem e fortaleçam o Sindicato. “A entidade representativa dos interesses dos trabalhadores é o Sindicato. Até o setor patronal tem seus próprios sindicatos. Somente a união dos trabalhadores será capaz de resistir aos retrocessos — especialmente a reforma da Previdência — e construir, a partir de 2018, um país com mais direitos e conquistas para o povo”.


Últimas Inclusões