Notícias

Luta e organização garantem bons resultados às bases da Fitmetal


POR Fernando Damasceno

Publicado em 21 de novembro de 2018


As campanhas salariais do 2º semestre foram encerradas nas principais bases da Fitmetal com bons resultados, fruto da luta e organização das direções dos Sindicatos de Metalúrgicos pelo Brasil afora.

Em um cenário bastante adverso tanto na esfera política quanto econômica, os Sindicatos do Rio de Janeiro, Betim (MG), Caxias do Sul (RS) e Carlos Barbosa (RS) mantiveram-se firmes diante da pressão do patronato (fortalecido após a aprovação da Reforma Trabalhista, no final de 2017) e da onda conservadora que assolou o país e elegeu Jair Bolsonaro como presidente.

Betim

No final de outubro, os Metalúrgicos de Betim (MG) decidiram em assembleia aprovar as cláusulas da Campanha Salarial Unificada dos Metalúrgicos de Minas Gerais 2018-2019, negociada entre as entidades representativas dos trabalhadores e trabalhadoras (Fitmetal/CTB, FEM/CUT e Femetalminas) e a patronal, representada pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).

Dentre as conquistas da Campanha Salarial Unificada estão o reajuste salarial de 3,97%, que repõe a perda inflacionária do último período; aumento do salário de ingresso; abono emergencial, cujo valor varia conforme a empresa, e a renovação das clásulas da Convenção Coletiva. "Mesmo com a crise econômica e as investidas do governo e da patronal contra os direitos e os interesses dos trabalhadores e trabalhadoras, consideramos que a Campanha Salarial deste ano foi vitoriosa, pois conseguimos barrar por mais um ano a implementação da reforma trabalhista na categoria. Também antecipamos o fechamento do Acordo Coletivo com o setor automotivo, o que contribuiu para que as negociações gerais não se arrastassem por muito tempo", disse o presidente do Sindicato, João Alves de Almeida.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, o Sindimetal-RJ promoveu uma assembleia em 18 de outubro para definir a Campanha Salarial 2018. Por unanimidade, a categoria decidiu aprovar o reajuste de 4% para os trabalhadores do Grupo 19 (Firjan) e 3,97% para os trabalhadores do setor naval (Sinaval). No caso do Sindirepa, a campanha ainda não foi definida. Além de garantir a reposição integral da inflação no salário dos trabalhadores, o Sindicato não aceitou retirada de direitos e manteve todas as conquistas do acordo coletivo.

Rio Grande do Sul

As duas bases gaúchas da Fitmetal também conduziram com habilidade a negociação com o patronato. Em Caxias do Sul, após muita resistência da direção do Sindicato e demonstração de unidade da categoria durante os quatro meses de negociação, foram aprovadas em assembleia geral as propostas para fechar a Convenção.

“Muitas vezes os patrões subestimam a inteligência dos trabalhadores e trabalhadoras e a força da nossa categoria. Demonstramos mais uma vez nossa força, luta, resistência e unidade. Parabenizo e agradeço a direção que foi firme nas negociações barrando todas as imposições dos patrões, parabenizo e agradeço a categoria que junto conosco disse NÃO ao turno 6x2. Conseguimos fechar um bom acordo, mesmo em um momento de muitos retrocessos a nível nacional e com a reforma trabalhista em vigor. Nossa categoria unida e forte jogou junto mais uma vez”, avaliou o presidente do Sindicato, Claudecir Monsani.

Entre as propostas aprovadas em Caxias, destacam-se a manutenção das cláusulas da Convenção Coletiva por dois anos; o índice de reajuste de 2.8%; a permanência de horas extras; férias em dois períodos e a ratificação da autorização coletiva para o desconto da Contribuição Sindical.

Em Carlos Barbosa, por dois meses o Sindicato negociou com os empresários locais, até que a categoria aprovasse por unanimidade o Acordo Coletivo 2018. O reajuste obtido foi de 4,11% e as cláusulas sociais foram mantidas por dois anos.

"Nossa prioridade, assim como no ano passado, foi proteger a Convenção Coletiva dos metalúrgicos diante dos malefícios da reforma trabalhista. Por outro lado, garantimos que qualquer mudança terá de ser submetida à consulta secreta dos trabalhadores. Foi uma vitória da maturidade e da capacidade de diálogo do Sindicato", afirmou o presidente Todson Andrade.

São Paulo

Em Jaguariúna a data-base da categoria ocorre em 1º de outubro e a Campanha Salarial segue em andamento. Segundo o presidente do Sindicato, José Francisco Salvino, o Buiú, as conquistas obtidas pelas bases de outros estados estão servindo como parâmetro para as negociações neste final de ano.

“As Campanhas fechadas recentemente são um parâmetro para a nossa, sem dúvida. Tivemos reuniões com vários grupos patronais recentemente e percebemos que eles querem tirar várias cláusulas de nossa convenção. Estamos lutando muito para mantê-las e, se possível, avançar em alguns aspectos. Queremos no mínimo manter o que temos e garantir a reposição das perdas salariais para a inflação”, sustentou o sindicalista.


Últimas Inclusões