Opinião

8 de março: Conquistas e controvérsias

O 8 de Março não é um dia para simplesmente presentear e maquiar as mulheres. Na nossa sociedade, as mulheres ainda sofrem com a violência doméstica e são assassinadas. Nos momentos de crise, são as primeiras a perderem seus postos de trabalho.


POR Eremi Melo

Publicado em 08 de março de 2018


O Dia Internacional da Mulher foi proposto por Clara Zetkin, em 1910, no 2º Congresso Internacional de Mulheres Socialistas. Nos anos posteriores a 1970, esse dia passou a ser associado a um incêndio que ocorreu em Nova York, em 1910. A história do dia 8 de março e as distorções que têm sido feitas sobre ele e a luta feminista. A história do feminismo, das operárias judias, operárias italianas, políticas dos movimentos sociais.

O 8 de Março, dedicado à comemoração do Dia Internacional da Mulher, atualmente se tornou uma data um tanto festiva, com flores e bombons para uns. Já para outros, é momento de relembrar sua origem marcada por fortes movimentos e reivindicações políticas e trabalhistas, greves e passeatas. É uma data que simboliza a busca da igualdade social entre homens e mulheres, em que as diferenças biológicas sejam respeitadas, mas não sirvam de pretexto para subordinar e inferiorizar as mulheres.

No século 19 e no início do século 20, nos países que se industrializavam, o trabalho fabril era realizado por homens, mulheres e crianças em jornadas de 12 a 14 horas, seis dias inteiros e frequentemente incluindo as manhãs de domingo. Os salários eram de fome, havia terríveis condições nos locais de produção e os proprietários tratavam as reivindicações como uma afronta. As operárias eram consideradas uma classe perigosa. Sucediam-se manifestações de trabalhadores por menores jornadas de trabalho e pela proibição do trabalho infantil. A cada conquista, o movimento operário inicia uma nova fase de reivindicações.

O 8 de Março, dedicado à comemoração do Dia Internacional da Mulher, atualmente se tornou uma data um tanto festiva, com flores e bombons para uns. Já para outros, é momento de relembrar sua origem marcada por fortes movimentos e reivindicações

A luta sindical tem por objetivo que homens e mulheres recebam salários iguais pela mesma tarefa. As trabalhadoras participam das lutas gerais, mas, quando se trata de igualdade salarial, não são consideradas as demandas das mulheres. Alega-se que essas demandas prejudicariam a luta geral. No Brasil, com a reforma trabalhista, retornarmos ao século passado no que diz respeito à jornada de trabalho. É preciso lutar para impedir a implementação da reforma trabalhista nas nossas vidas.

O 8 de Março, portanto, não é um dia para simplesmente presentear e maquiar as mulheres. Na nossa sociedade, as mulheres ainda sofrem com a violência doméstica e são assassinadas. Nos momentos de crise, são as primeiras a perderem seus postos de trabalho. O 8 de março é um dia de luta, em que as mulheres devem ir às ruas e lutar por seus direitos. Neste Dia Internacional da Mulher, estaremos na luta por nenhuma mulher a menos!

#MulherForçaEResistência


Eremi Melo

Secretária da Mulher da FITMETAL (Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil) e diretora de Imprensa e Divulgação do Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul


Últimas Inclusões