Clipping

Dilma denuncia plano de Temer para acabar com o Bolsa Família

Presidenta afastada participou, nesta terça-feira (7), de um bate-papo com a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome do seu governo, Tereza Campello, respondendo perguntas de internautas do Facebook.


POR Vermelho - Laís Gouveia

Publicado em 07 de junho de 2016

Foto de Reprodução

A presidenta Dilma Rousseff vem usando as redes sociais para interagir com a população e desmistificar a manipulação midiática da legitimidade do impeachment. Nesta terça-feira (7), ela participou de um bate-papo com a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome do seu governo, Tereza Campello, respondendo perguntas de internautas do Facebook.

Dilma denunciou o plano do presidente ilegítimo Temer para cortar gastos sociais, “é preocupante esta notícia que foi divulgada neste fim de semana. O governo provisório pretende remunerar os municípios para que tirem as famílias do programa Bolsa Família: A prefeitura que reduzir o número de dependentes do programa passará a ganhar um bônus. Essa iniciativa mostra como o nosso projeto é completamente diferente do deles. Nós remuneramos o município quando mantém um cadastro bem feito, acompanha a frequência escolar e a saúde das crianças. Remuneramos também os municípios para que garantam o acesso dos beneficiários do Bolsa Família aos cursos de qualificação profissional. Remuneramos ainda na Busca Ativa para localizar e incluir as famílias que precisam nas políticas públicas. Eles querem fazer o oposto: remunerar para excluir”, afirma Dilma.

Em relação aos mitos criados de que o Bolsa família é um programa para sustentar desempregados que vivem “de esmola”, Dilma foi categórica em desmentir os falsos dados “uma informação pouco divulgada é que mais de 70% dos adultos beneficiados já trabalham e muito. Mas por não terem tido oportunidades, sua renda não é suficiente para manter a família com dignidade. A grande questão não é cortar o Bolsa Família, mas levar outras oportunidades, como qualificação com o Pronatec. Quase 1 milhão de beneficiários já passaram por cursos técnicos".

"Outros 500 mil se tornaram microempreendedores individuais. Também é importante lembrar que, graças ao Bolsa Família, 17 milhões de crianças se mantém na escola e 9 milhões de famílias têm acompanhamento médico. Isso é o que vai mudar a realidade dessas crianças, que não vão repetir a mesma trajetória de seus pais, que não tiveram oportunidade”, explicou a presidenta.

Custo benefício

Quando questionada se a crise econômica no país justifica os cortes sociais do presidente ilegítimo Michel Temer, Dilma argumentou que o programa pouco impacta aos cofres, “claro que o país pode passar por essa crise sem cortar o Bolsa Família, que atende 47 milhões investindo apenas 0,47% do PIB. É um programa muito barato. Isso deveria ser impensável, ainda mais em um momento de crise, que é quando as famílias mais precisam de proteção. E uma coisa que pouca gente sabe é que cada R$ 1 investido no programa traz o retorno de R$ 1,78 para economia”.

Criado em 2003 pelo ex-presidente Lula, o Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda, direcionado às famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o País, de modo que consigam superar a situação de vulnerabilidade e pobreza. Em todo o Brasil, mais de 13,9 milhões de famílias beneficiárias.


Últimas Inclusões